sábado, 20 de setembro de 2014

Matt Damon e Paul Greengrass reúnem-se para mais um filme com Jason Bourne


Depois de Bourne Legacy (2012), com Jeremy Renner (The Town), o franchise Bourne voltará a reunir Matt Damon e Paul Greengrass. Ao contrário do inicialmente expectado - esperava-se que para o quinto filme da saga, Jeremy Renner voltasse a interpretar Aaron Cross - sabe-se agora que a Universal está a negociar com o actor e cineasta para que recuperem a personagem de Jason Bourne.

Desde 2007 que Matt Damon afirmou que não tinha interesse em voltar à personagem, a não ser que contasse com o envolvimento de Paul Greengrass. Espera-se no entanto que os estúdios não queiram abandonar a personagem de Aaron Cross e planeiam uma sequela de Bourne Legacy, com realização de Justin Lin (Fast & Furious 6), mas que agora poderá ser adiada.

George Clooney será homenageado com o prémio Cecil B. DeMille nos Globos de Ouro 2015


O actor, realizador, argumentista e produtor George Clooney será o homenageado com o prémio Cecil B. DeMille nos Globos de Ouro 2015. O prémio honorário da Hollywood Foreign Press Association é entregue anualmente pelas contribuições excepcionais ligadas ao mundo do entretenimento ao longo dos anos, por parte do homenageado, funcionando muitas vezes como um prémio carreira.

George Clooney sucede ao cineasta Woody Allen que recebeu o mesmo prémio na edição anterior dos prémios. A entrega terá lugar a 11 de Janeiro de 2015, numa cerimónia com Tina Fey e Amy Poehler como anfitriãs.

"Maïdan" é o filme de abertura do Doclisboa 2014


Maïdan, do cineasta bielorrusso Sergei Loznitsa, é o filme de abertura do Doclisboa 2014. A produção retrata os protestos populares que se iniciaram em Novembro de 2013 na praça central de Kiev, contra o regime do presidente deposto Viktor Yanukovich. O filme estreou em Cannes 2014 onde venceu o prémio FIPRESCI.

A sessão de abertura decorrerá a 16 de Outubro, no Grande Auditório da Culturgest. Ao mesmo tempo, mas no Pequeno Auditório, serão exibidos os filmes Medium Earth, do colectivo The Otolith Group; assim como a curta Traces, de Wang Bing. Já no Cinema São Jorge irá ser apresentado Ai Weiwei's Appeal ¥15,220,910,50; do activista chinês Ai Weiwei.

Na secção Heart Beat destaque ainda para a estreia Fado Camané, do português Bruno de Almeida e o encerramento da secção com Berlin, de Julian Schnabel, na véspera do primeiro aniversário da morte de Lou Reed.

O festival Doclisboa 2014 encerrará com Socialism, do realizador finlandês Peter von Bagh. O festival decorrerá de 16 a 26 de Outubro.

Leonel Vieira é o realizador do remake de "O Pátio das Cantigas"


A produtora Stopline revelou que o realizador Leonel Vieira (Zona J) está a filmar um remake da comédia portuguesa O Pátio das Cantigas (1942), considerado um dos filmes mais icónicos da "época de ouro" do cinema português, nas décadas 1930 e 1940.

As filmagens iniciaram-se recentemente na Vila Berta, em Lisboa e contam com participação de Miguel Guilherme (Conta-me Como Foi), César Mourão (Sal), Dânia Neto (Laços de Sangue), Sara Matos (O Beijo do Escorpião), Anabela Moreira (Sangue do Meu Sangue) e Cristóvão Campos (Os Filhos do Rock). A rodagem deste filme integrará uma «trilogia de clássicos» com remakes de outros filmes do mesmo período - e que deverão ser filmados de seguida. Desconhece-se ainda o nome dos outros projectos e se Leonel Vieira será também o realizador.

O remake O Pátio das Cantigas deverá estrear em 2015.

Poster final de "Interstellar", de Christopher Nolan

A Warner Bros. divulgou um poster final de Interstellar:


Realizado por Christopher Nolan (Inception), Interstellar estreia em Portugal a 6 de Novembro.

Portugal sem qualquer produção pré-seleccionada aos European Film Awards 2014


A Academia Europeia de Cinema revelou uma lista com cinquenta filmes pré-seleccionados aos European Film Awards 2014. Apesar de contar com trinta e um países representados, Portugal não tem qualquer produção pré-eleita, ilustrando os efeitos do chamado ano zero do cinema português. França encontra-se representada com onze títulos, enquanto que a Alemanha se ficou pelos nove.

Nas próximas semanas, os mais de 3 mil membros da Academia votarão para os nomeados nas categorias de Melhor Filme, Realizador, Actor, Actriz e Argumento. A lista será anunciada a 8 de Novembro, no Festival de Cinema Europeu de Sevilha. Um júri seleccionado decidirá os vencedores nas categorias de Melhor Director de Fotografia, Montador, Designer de Produção, Figurinista, Compositor e Designer de Som.

A cerimónia oficial dos European Film Awards 2014 terá lugar em Riga, a 13 de Dezembro.
  • Adieu au Langage, de Jean-Luc Godard (França)
  • Alienation, de Milko Lazarov (Bulgária)
  • Amour Fou, de Jessica Hausner (Áustria, Alemanha e Luxemburgo)
  • Bande de Filles, de Céline Sciamma (França)
  • Bird People, de Pascale Ferran (França)
  • Blind, de Eskil Vogt (Holanda, Noruega)
  • Blind Dates, de Levan Koguashvili (Geórgia)
  • Calvary, de John Michael McDonagh (Irlanda)
  • Caníbal, de Manuel Martín Cuenca (Rússia, Roménia, França e Espanha)
  • Class Enemy, de Rok Bicek (Eslovénia)
  • Concrete Night, de Pirjo Honkasalo (Dinamarca, Suécia e Finlândia)
  • The Dark Valley, de Andreas Prochaska (Áustria)
  • Deux jours, une nuit; de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne (Bélgica, Itália e França)
  • Fair Play, de Andrea Sedlackova (República Checa, Alemanha e Eslováquia)
  • Force majeure, de Ruben Östlund (Suécia, Dinamarca e Noruega)
  • Frank, de Lenny Abrahamson (Reino Unido e Irlanda)
  • Hermosa Juventud, de Jaime Rosales (Espanha e França)
  • Home from Home: Chronicle of a Vision, de Edgar Reitz (Alemanha, França)
  • Of Horses and Men, de Benedikt Erlingsson (Islândia, Alemanha e Noruega)
  • Ida, de Pawel Pawlikowski (Dinamarca e Polónia)
  • Il Capitale Umano, de Paolo Virzì (Itália)
  • In Order of Disappearance, de Hans Petter Moland (Noruega)
  • Kertu, de Ilmar Raag (Estónia)
  • The Kindergarten Teacher, de Nadav Lapid (Israel e França)
  • Kuzu, de Kutlug Ataman (Alemanha e Turquia)
  • La Herida, de Fernando Franco (Espanha)
  • La meraviglie, de Alice Rohrwacher (Itália, Alemanha e Suíça)
  • Leviathan, de Andrey Zvyagintsev (Rússia)
  • Life in a Fishbowl, de Baldvin Zophoníasson (Suécia, Finlândia, Islândia e República Checa)
  • Locke, de Steve Knight (Reino Unido)
  • That Lovely Girl, de Keren Yedaya (Israel)
  • Macondo, de Sudabeh Mortezai (Áustria)
  • Miss Violence, de Alexandros Avranas (Grécia)
  • Mr. Turner, de Mike Leigh (Reino Unido, Alemanha, França)
  • Nymphomaniac - Director's Cut, de Lars von Trier (Dinamarca)
  • Papusza, de Joanna Kos e Krzysztof Krauze (Polónia)
  • Starred Up, de David Mackenzie (Reino Unido)
  • Still Life, de Uberto Pasolini (Reino Unido e Itália)
  • Stratos, de Yannis Economides (Grécia)
  • Traumland, de Petra Volpe (Suíça)
  • The Tribe, de Miroslav Slaboshpitsky (Ucrânia)
  • Under the Skin, de Jonathan Glazer (Reino Unido)
  • We Are the Best!, de Lukas Moodysson (Suécia e Dinamarca)
  • Violette, de Martin Provost (Bélgica e França)
  • Vivir es fácil con los ojos cerrados, de David Trueba (Espanha)
  • Walesa: Man of Hope, de Andrzej Wajda (Polónia)
  • When Evening Falls on Bucharest or Metabolism, de Corneliu Porumboiu (Roménia)
  • White God, de Kornél Mundruczó (Suécia, Alemanha e Hungria)
  • Winter Sleep, de Nuri Bilge Ceylan (França, Alemanha e Turquia)
  • Wolf, de Jim Taihuttu (Holanda)

"Os Maias" foi visto por mais de 21 mil espectadores na semana de estreia


O filme Os Maias - Cenas da Vida Romântica foi visto por 21.148 espectadores, nos primeiros sete dias de exibição em Portugal, segundo dados do ICA. A produtora Ar de Filmes já dá conta, no entanto, de mais de 30 mil espectadores conseguidos no seu segundo fim-de-semana de exibição. Adaptado da obra de Eça de Queirós pelo cineasta português João Botelho, o filme encontra-se em exibição em vinte e três ecrãs de doze localidades do país e em Novembro efectuará uma digressão pelo país - tanto a locais com pouco acesso ao cinema nacional, como ao público escolar.

Com este valor de audiência, o filme conseguiu tornar-se a terceira maior audiência do ano em Portugal, para um filme de produção portuguesa. Encontra-se apenas atrás de Sei Lá, de Joaquim Leitão (61.730 espectadores) e Ruas Rivais, de Márcio Loureiro (36.007 espectadores).

Os Maias será ainda exibido no Brasil (país co-produtor) e terá uma versão televisiva, a ser exibida em 2015, no canal RTP1.

FX renova "Tyrant" para uma segunda temporada


O canal FX anunciou a renovação de Tyrant para uma segunda temporada. Criada por Gideon Raff (Prisoners of War), a série foi inicialmente também disputada com os canais Showtime e HBO.

A narrativa segue a vida do filho mais novo do ditador de um país do Oriente Médio que, passados vinte anos nos EUA, retorna para encontrar o país numa grande turbulência política e social.

A primeira temporada foi vista por 5,1 milhões de espectadores (somando os dados de DVR, outras plataformas e repetições). A segunda temporada de Tyrant contará com treze episódios e deverá estrear na summer season de 2015.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Passatempo Maze Runner - Correr ou Morrer - Parte 2



Thomas percebe que se encontra num elevador e que chegou a um lugar estranho, um espaço que se abre entre muros altíssimos e que o enche de pânico. Lá fora, como se estivessem à sua espera, uma pequena multidão de rapazes adolescentes como ele. As suas vozes saúdam-no com piadas juvenis, proferidas numa linguagem que lhe parece estranha. Dizem-lhe que aquele lugar se chama a Clareira e ensinam-lhe o que sabem a respeito daquele mundo. Tal como acontece com Thomas, não se lembram da sua vida anterior, mas ali estão perfeitamente organizados, cumprindo preceitos que ninguém deve quebrar. No fim desse primeiro dia de Thomas naquele lugar, acontece algo inesperado - a chegada da primeira e única rapariga, que traz uma mensagem que mudará todas as regras do jogo.


Mais informações sobre o livro




Para aqueles que concorreram para um convite da antestreia de Maze Runner - Correr ou Morrer e não foram contemplados abrimos também um passatempo para que se habilitem a um exemplar do livro de James Dashner.

Se quiserem estar habilitados a ganhar o livro bastará que preencham o formulário abaixo com os mesmos dados com que participaram no outro passatempo.
Devem fazê-lo tendo em atenção as regras que regem a entrega dos prémios aos participantes.

As pessoas que participaram no passatempo da antestreia desta obra e que foram excluídas devido a questões relacionadas com uso abusivo de dados serão igual e automaticamente excluídas em caso de participação no corrente passatempo.

No restanto aplicam-se as regras definidas no Regulamento abaixo apresentado, bem como as previstas nos Termos e Condições do blogue.




Regulamento:

- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 27 de Setembro, sendo excluídas todas as respostas que chegarem depois desse prazo.
- Cada uma das participações no passatempo deve conter dados únicos relativamente a todas as outras. No caso de se verificar utilização abusiva de dados, todas as participações em incumprimento serão excluídas do sorteio.
- Além da correcção das respostas às questões lançadas, também o preenchimento dos dados pessoais são factor de exclusão, devendo por isso corresponderem às normas como são solicitados.
- Os premiados serão escolhidos entre todos aqueles que apresentarem uma participação válida e a escolha será definitiva a menos que se apresente um caso de fraude.
- A escolha é feita através de um sistema de selecção aleatória disponível online.
- O Split Screen reserva-se o direito de fazer uma selecção das respostas validadas quando se apresentarem circunstâncias duvidosas da legitimidade da origem das mesmas.
- O nome dos vencedores será publicado neste blogue e os mesmos serão avisados por email.
- Em caso de não concordar com alguma destas regras, deverá abster-se de participar.
- O presente regulamento não substitui o conjunto de regras gerais definido para todos os passatempos do blogue, que deve ser consultado na secção "Termos e Condições" para qualquer dado omisso ou qualquer caso de dúvida.


E Agora? Lembra-me, por Tiago Ramos


Título original: E Agora? Lembra-me (2013)
Realização: Joaquim Pinto

O primeiro plano adverte de imediato o espectador. Não estamos perante um documentário didáctico num qualquer regime de perguntas e respostas: um plano aproximado foca-se numa lesma e na sua locomoção lenta, um momento banal. A vida, portanto. Joaquim Pinto revela-se perante a câmara com uma sensibilidade e humildade notáveis e antecipa-se perante o espectador: estamos perante um diário, um caderno de notas de um ano da sua vida, enquanto inicia um longo tratamento experimental para o VIH. É portanto um registo por vezes (quase) desconexo, pontual, em jeito de apontamento e ainda assim, surpreendentemente comovente e poético, expondo a fragilidade da vida tão a cru. É por isso que E Agora? Lembra-me é também um registo de amor. Um amor entre Joaquim e Nuno - belíssima cena de sexo a desdenhar quem diz que não se consegue filmar o Amor entre um casal - um amor pelos seus cães, pela terra, pela vida. "Lembra-me", diz o título. E se quisermos podemos olhar para este registo como uma reflexão sobre a memória, a percepção da vida, as doenças e o mundo global, a sobrevivência e a dor. A fazer lembrar que ainda se sofre - e muito - pelas consequências do VHC e do VIH; a fazer recordar a universalidade do Amor, sem nunca ser também panfletário. «Tenho de querer para crer. Tenho de crer para crer».

Um filme que obriga a parar e a reflectir. "E agora?". A religião, a política, a ciência. Sempre os mesmos temas e a passagem do tempo. «Inverno e Primavera sem chuva, um Verão que se anuncia quente. Acções que se repetem: cada dia e cada repetição são diferentes». Joaquim vai oscilando entre o medo de definhar e a consciência do destino certo da morte (e como tal da fragilidade da vida), com a esperança que, em breve, os vírus do VHC e do VIH, não sejam mais do que meras marcas do passado no genoma humano. E nós, espectadores, e agora? A nós resta-nos um dos filmes portugueses mais marcantes do século XXI, resta-nos a fragilidade da nossa vida, espelhada na vida de Joaquim e de Nuno, da necessidade do Amor, na superação diária, do desfrutar dos pequenos momentos do quotidiano, de nos mantermos vivos por nós e por quem amamos. Não é um testamento, não é um epitáfio. É uma confissão, um testemunho da vida e um evento cinematográfico.


Classificação:

Primeiro trailer de "Big Eyes", de Tim Burton


Foi divulgado o primeiro trailer oficial de Big Eyes, o mais recente filme de Tim Burton:


O filme centra-se na relação entre os artistas Walter (Christoph Waltz) e Margaret Keane (Amy Adams), mais especificamente na batalha legal que durou décadas, após o seu divórcio em 1965, sobre quem seria o autor dos famosos quadros onde figuras infantis eram pintadas com grandes olhos. Jason Schwartzman (Moonrise Kingdom) e Krysten Ritter (Don't Trust the B---- in Apartment 23) juntam-se também ao elenco.

Big Eyes estreia em Portugal a 8 de Janeiro de 2015.

Poster e trailer de "A Most Violent Year", com Jessica Chastain e Oscar Isaac


Foram divulgados um poster e trailer de A Most Violent Year, o mais recente filme do cineasta J.C. Chandor (All Is Lost):


Ambientado em Nova Iorque, durante o Inverno de 1981 - estatisticamente um dos anos mais violentos na história da cidade - o filme centra-se nas vidas de um imigrante e da sua família. Estes tentam expandir os seus negócios e capitalizar as oportunidades, à medida que o crescimento da violência, decadência e corrupção arrastam-nos e ameaçam destruir tudo o que construíram. Oscar Isaac (Inside Llewyn Davis) e Jessica Chastain (Zero Dark Thirty) são os protagonistas.

A Most Violent Year estreia a 31 de Dezembro, nos Estados Unidos.

Comentários recentes no blogue

Powered by Disqus

Receive all updates via Facebook. Just Click the Like Button Below

?

You Can also Receive Free Email Updates:

Powered By NBT